Acácia - Psicologia & Psiquiatria

Consulta Psiquiátrica

O que é um psiquiatra? 

O Psiquiatra é um médico especializado no diagnóstico e no tratamento de problemas, dificuldades ou transtornos que de alguma forma podem causar sofrimento para o indivíduo e/ou para as pessoas de seu convívio. Esse sofrimento, por sua vez, pode estar relacionado a um prejuízo no funcionamento social, em áreas como por exemplo: familiar, escolar, profissional e em relações de amizade.

Quando procurar um psiquiatra?

Como médico, o psiquiatra está apto a, primeiramente, fazer uma avaliação mais global de sua saúde. Essa avaliação abrange quaisquer aspectos orgânicos que podem estar associados aos sintomas trazidos pelo paciente. Muitas pessoas imaginam que psiquiatras tratam somente casos mais graves, e que portanto ir a uma consulta psiquiátrica é um sinal da gravidade de seus problemas. Isso não é verdade. A avaliação e o tratamento psiquiátricos podem auxiliar pessoas com todo tipo e grau de problemas e sintomas relacionados à sua saúde mental.

Como é uma consulta psiquiátrica?

O psiquiatra trabalha principalmente com a avaliação clínica, ou seja, ao conhecer, conversar, fazer perguntas específicas e observar seu paciente, ele formula hipóteses diagnósticas e elabora um plano de tratamento. Durante a consulta, o psiquiatra pode ainda aplicar testes e escalas que o auxiliam a obter informações mais sistemáticas. Muitas vezes também, o psiquiatra solicita que o paciente realize exames laboratoriais diversos. Em alguns casos, o psiquiatra pode também solicitar a avaliação complementar de médicos de outras especialidades ou de outros profissionais da área da saúde. Ele pode, ainda, contar com a participação de familiares ou outras pessoas significativas para o paciente (sempre com a autorização deste), que contribuem compartilhando suas impressões sobre seus sintomas.

O que é diagnóstico psiquiátrico?

A partir da avaliação, o psiquiatra pode realizar um diagnóstico diferencial, isto é, hipotetizar se o conjunto de sintomas relatados, sinais observados, alterações em exames e/ou avaliação de outros profissionais  podem preencher critérios para um ou mais diagnósticos, e também excluir outras hipóteses diagnósticas. Os diagnósticos psiquiátricos não são um rótulo, e a maior parte deles também não é imutável. Por esse motivo, o psiquiatra reavalia o diagnóstico a cada consulta.

Alguns transtornos que fazem parte do campo de diagnóstico e tratamento do psiquiatra são, por exemplo:

Depressão
Ansiedade
Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)
Transtorno Opositor Desafiante (TOD)
Transtorno Bipolar
Transtorno Obsessivo-Compulsivo
Transtorno do Pânico
Fobia Social
Esquizofrenia
Transtornos de Personalidade
Transtorno do Espectro Autista

Como é o tratamento psiquiátrico?

O diagnóstico pode ser importante porque contribui para o psiquiatra delinear uma boa alternativa de tratamento. Boas alternativas são, em geral, opções já comprovadamente eficazes em estudos científicos com pessoas com sintomas e diagnósticos semelhantes. Contudo, nem todo conjunto de sintomas precisa corresponder a um diagnóstico.

Outro mito muito difundido sobre tratamento psiquiátrico é de que ele é sinônimo de prescrição de medicações. Isso também não é verdade. Existem diversas opções de tratamentos, e a prescrição de medicamentos psiquiátricos é uma delas, mas não a única. O psiquiatra pode também realizar o tratamento psicoterápico, ou encaminhar o paciente para psicoterapia com outro profissional. A depender da avaliação, o psiquiatra também pode prescrever outros tipos de medicamentos ou suplementos, encaminhar o paciente para outro especialista e/ou auxiliar o paciente a realizar mudanças no estilo de vida que irão contribuir significativamente para sua melhora, como por exemplo aquelas relacionadas a padrão de sono, de alimentação, exercícios físicos e assim por diante.

Diagnóstico e tratamento psiquiátrico na infância e adolescência?

Existem diagnósticos que são exclusivos da infância e adolescência (por exemplo, Transtorno Opositor Desafiante). Outros perpassam qualquer idade (por exemplo, Transtorno Depressivo). Outros ainda são diagnósticos somente para a idade adulta (por exemplo, Transtornos da Personalidade). O Psiquiatra da Infância e Adolescência é um especialista no diagnóstico e tratamento de transtornos exclusivos dessa faixa etária e também comuns a todas as idades. As características dos transtornos podem ser bastante diferentes ou mais específicas quando apresentado por uma criança ou um adolescente.

Na avaliação clínica, o psiquiatra vê a criança/adolescente, conversa com ela e/ou observa seu comportamento, brinca ou observa a criança brincar, conversa com os pais e/ou cuidadores e se for o caso aplica escalas padronizadas. Ele pode também solicitar exames laboratoriais adicionais ou solicitar que a escola dê algumas informações sobre a criança/adolescente. Pode ainda contar com a parceria de outros profissionais, quando for o caso, como por exemplo: psicólogo infantojuvenil, neuropsicólogo, pediatra, neurologista e endocrinologista infantis.

A partir da hipótese diagnóstica, o Psiquiatra da Infância e Adolescência delineia uma forma de tratamento, mas é importante ressaltar a avaliação diagnóstica é um processo contínuo, ou seja, a criança/adolescente (bem como o adulto) é sempre reavaliada a cada consulta.

Assim como na Psiquiatria de adultos, o tratamento não necessariamente é medicamentoso. Há boas alternativas não medicamentosas no tratamento de crianças e adolescentes, com resultados comprovados por meio de pesquisas, especialmente tratamentos que contam com a participação dos pais, como o Treino Parental Comportamental. Seja qual for o tratamento escolhido, é importante que seja respaldado por pesquisas específicas para a faixa etária do paciente.